Ibama/MT produz documento sobre o defeso da piracema no estado

As dificuldades em estabelecer critérios para o período de proteção à reprodução natural dos peixes das bacias e sub-bacias hidrográficas do Mato Grosso foram objeto de estudo do analista ambiental Carlos Fregadolli, do Núcleo de Fauna e Recursos Pesqueiros do Ibama/MT. Fregadolli produziu documento que foi apresentado nas reuniões para definição dos defesos nas Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins.

imagens representativa da bacia

O Rio Araguaia é um dos rios que compõem a Bacia do Tocantins-Araguaia

O Rio Araguaia é um dos rios que compõem a Bacia do Tocantins-Araguaia

Para definir os critérios apresentados no documento, foram utilizadas informações do Ibama, Fundação Estadual do Meio Ambiente (Fema), Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat) e Universidade Federal do Mato Grosso (Ufmt), resultantes de discussões locais, estudos de monitoramento da piracema e de pesquisa com a ictiofauna. “É clara a deficiência de informações sobre o ciclo de vida dos peixes nos rios da região amazônica mato-grossense, o que dificulta o estabelecimento do período de defeso”, explica o analista.

Ainda segundo o analista do Ibama, uma forma alternativa de comparar as diferentes sub-bacias hidrográficas no Mato Grosso, para auxiliar na definição do período de defeso, seria por meio da análise de dados de pluviometria e fluviometria, já que o período de defeso é definido em função do ciclo de vida dos peixes migradores, que se reproduzem durante a fase de cheia dos rios. Por isso, o documento inclui uma análise de comparação de dados mensais de chuva e nível do rio de quatro áreas do território mato-grossense, abrangendo três sub-bacias amazônicas e uma sub-bacia do rio Araguaia.

Nos estados estritamente amazônicos, onde a pesca profissional tem contribuição importante na economia e o pescado representa um alimento fundamental para os ribeirinhos, o defeso da piracema é restrito a algumas espécies.

Já em Goiás, que compartilha com o Mato Grosso a Bacia do Araguaia, só será permitida a pesca amadora. No período de defeso, a quantidade permitida para pesca será reduzida de 5 para 3 kg – diferentemente do Mato Grosso, onde é permitida apenas a captura de 3 kg para a subsistência do pescador.

Na bacia do Alto Paraguai, que envolve Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o período será de 03 de novembro a 28 de fevereiro, com regulamentação já publicada no Diário Oficial

destaque do http://www.reporternews.com.br/noticia/374580/ibama_mt_produz_documento_sobre_o_defeso_da_piracema_no_estado

Tags:, , , ,

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu Virtual de Ciência e Tecnologia – Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: