Conheça um pouco do Baru

O baru é nativo do Cerrado brasileiro e sua árvore pode atingir até 25 m. A castanha do baruzeiro é rica em proteínas, fibras, ácidos graxos e minerais.

Nativo do cerrado brasileiro, o baru, Dipteryx alata, da família Fabaceae, é conhecido em alguns locais como cumaru, cumari, feijão-baru, cumbaru, imburana-brava, barujo, bugueiro, cambaru, castanha-de-bugre, coco-feijão, cumarurana, feijão-coco, e pau-cumaru.

Baru

Sua árvore pode atingir até 25m de altura e, por sua madeira ser muito resistente, é bastante empregada na indústria moveleira e na construção civil. Sua floração geralmente ocorre entre os meses de outubro e janeiro, mas, assim como a frutificação, ela dependerá das condições de água e solo do ambiente.

A castanha do baruzeiro tem sabor semelhante ao do amendoim e é rica em proteínas, ácido graxos, fibras, minerais, além de ser uma ótima fonte de ferro e zinco. Em razão da grande quantidade de ferro em suas castanhas, o baru vem sendo empregado no combate à anemia, tanto que, no ano de 2001, a prefeitura de Goiânia passou a utilizar a farinha de baru na merenda escolar.

Nas comunidades de onde o baru é extraído, ele é conhecido como o “viagra do cerrado”, em virtude da sua natureza afrodisíaca. O zinco é considerado o mineral mais importante para a fertilidade feminina e masculina, e o baru contém uma quantidade grande desse mineral.

Da castanha do baru se extrai um óleo semelhante ao azeite de oliva, que contém ômega-6 e ômega-9. Essas substâncias são importantes na prevenção da hipertensão e na redução do colesterol total e LDL (colesterol ruim). Elas regularizam os níveis de glicose no sangue, reduzem a gordura abdominal e a incidência de câncer, além de ajudarem na cicatrização e na queda de cabelo. O ômega-9 ainda é um potente antioxidante, que reduz as lesões nas células causadas pelos radicais livres e inibe a agregação plaquetária e a formação de trombos.

A polpa do baru é uma importante fonte de alimento para a fauna nativa e para o gado.

Infelizmente, essa espécie tão rica está ameaçada de extinção, devido à destruição do cerrado, em função do avanço da fronteira agropecuária e do seu corte em razão da excelente qualidade de sua madeira.

Publicado por: Paula Louredo Moraes em Vegetais comestíveis

Tags:, ,

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu Virtual de Ciência e Tecnologia - Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Maravilhas do Cerrado

"O uso da fotografia e cultura digital para fomento da educação ambiental"

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: