O inesperado em meio ao Cerrado

Serras, dunas e belas paisagens no deserto do Jalapão

posição geografica do Jalapão

posição geografica do Jalapão

Jalapão

Jalapão – divulgação

“O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão”. Esta frase de Euclides da Cunha, escrita em sua obra “Os Sertões” representa muito bem o que aconteceu a milhões de anos no Jalapão. Com altitude variando entre 200 e 400 metros acima do nível do mar, acredita-se que aquilo tudo tenha sido oceano, já que o solo arenoso faz parte de todo o sudoeste do estado do Tocantins.

A imagem predominante da região são chapadões e serras e a maior entre elas é a do Espírito Santo. Para conhecê-la vale a pena acordar cedo e se preparar para uma subida bem puxada de aproximadamente um quilômetro. Antes que você entre em exaustão, há estrategicamente colocados quatro banquinhos pelo caminho para poder descansar e contemplar a maravilhosa vista. Para aqueles que cansam fácil, os guias prepararam uma bebida poderosa, o “Jalapower”, que nada mais é que soro caseiro, limão e suco de caju bem gelado.

Com o pique reforçado fica mais fácil perceber a riqueza da flora na Serra e os chapadões a perder de vista da região. É possível também ver a Serra Geral, que faz divisa entre o Estado do Tocantins e o Estado da Bahia.

Pelo caminho é possível encontrar a Jalapa, planta que deu origem ao nome Jalapão, várias Canela de Ema, pés de Cajuzinho, de Maracujazinho do cerrado, a sugestiva planta Pau Doce, usada como abortivo pela comunidade local e a Vergantesa, que dizem por lá ser afrodisíaca.

Para os olhos – Ao chegar ao topo caminha-se mais três quilômetros em um terreno plano. A caminhada leva à outra extremidade da Serra. De lá a paisagem muda e as falésias enchem os olhos. O mais curioso, é que a força do vento quando bate no platô faz um barulho como se fosse oceano.

O processo de erosão da Serra deu origem às Dunas que foram formadas aos seus pés. De cor alaranjada, devido aos paredões de arenito de cor avermelhada, o vento traz as partículas da rocha, o dióxido de ferro, que acabam caindo nas dunas, deixando-as coloridas e diferente do que você jamais viu. Embaixo das dunas um pequeno córrego, com água rica em ferro é um refresco para os pés, já que sua profundidade não passa de 20cm.

O Jalapão também é chamado de deserto, não pelas suas características, mas pela sua densidade demográfica, umas das mais baixas do Estado com 0,8 habitantes por quilômetro quadrado. Daí a preocupação em mantê-lo intacto. Sensíveis à pisadas, quanto menor o número de visitantes na área, maior a chance de que essa maravilha da natureza dure para as próximas gerações.
Baseado na reportagem Webventure – Sebrae-TO.

Tags:, , , ,

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu do Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: