A exuberância dos ipês no cerrado

ipesCom a queda da umidade relativa do ar do tempo árido e empoeirado é a moldura que acolhe os ipês em suas exuberantes floradas, copas amarelas, rosas, roxas e brancas tomam a paisagem. As cores vibrantes composta pelas variedades da planta, irrompem de junho a setembro. O primeiro a se apresentar é o ipê-roxo, Handroanthus impetiginosus, cujos buquês já enfeitam o Distrito Federal. Eles podem ser vistos salpicados destas pinturas exuberantes.
A árvore do ipê é alta, bem copada e, no período da floração, apresenta uma peculiaridade: fica totalmente desprovida de folhas. Estas dão lugar às flores – amarelas-ouro, brancas ou roxas – que estampam belas manchas coloridas nas paisagens do País.

Sementes aladas, pelo vento que rumo soprar
As floradas costumam durar até 15 dias, em média, e variam conforme a pouca concentração de água na atmosfera. No caso do amarelo, ele pode se estender por até 10 dias e tem duas edições: uma após a do roxo, aproximadamente em julho, e outra em setembro, quando se anuncia a chegada da temporada de chuva.

O fato de ter havido precipitação prolongada — situação pouco comum para a época — pode ter afetado o ciclo dos ipês, de acordo com a professora do curso de engenharia florestal da Universidade de Brasília (UnB) Carmen Regina Correia.  A floração é, de acordo com a professora Carmen, uma estratégia de reprodução das plantas. “Os ipês aproveitam o vento para propagar as sementes. Elas possuem uma película, que as permite flutuar. Quando as condições ambientais oferecem essa oportunidade, os cachos florescem”, continuou. No caso do branco, por exemplo, ela explica que o curto de período de floração pode ter a ver com a alta frequência de polinização. “As flores caem mais rapidamente. Uma hipótese é de que sejam muito polinizadas e consigam frutificar rapidamente”, explicou.

A ocorrência da espécie nativa no cerrado é principalmente em regiões com inverno seco e temperaturas entre 18°C e 26 °C, como Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás. É uma árvore de ornamentação e serve de alimento para insetos apícolas, aves e macacos.

» Natureza em festa
Junho e julho: ipê-roxo
Julho e agosto: ipê-amarelo
Fim de agosto: ipê-rosa
Setembro: ipê-branco e ipê amarelo

baseado na reportagem  jornal integração do cerrado – Goiania

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu do Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: