Semana do cerrado na Bahia

A realização da Semana do Cerrado no Oeste da Bahia surge a partir do contexto de intensa degradação deste bioma. Assim, sentido a necessidade de “dar voz” e “fazer ecoar” o “clamor” do Cerrado e do seu povo, as comunidades geraizeiras, entidades, organizações e movimentos sociais que atuam na região, tomaram a iniciativa de realizar a 1ª Semana do Cerrado envolvendo municípios na Bahia e no Norte de Minas, e teve sua culminância com a 1ª Romaria do Cerrado em Côcos, setembro/2014. Nesta Romaria foi entregue, de forma simbólica a um morador da comunidade de Riacho do Meio/Côcos, uma cruz de madeira, simbolizando o “calvário” dos povos Geraizeiros. Em setembro de 2015 foi realizada a 2ª Semana do Cerrado, que teve como objetivo o aprofundamento das reflexões entorno do Cerrado em um grande Seminário, com destaque para a criação do MATOPIBA. A culminância desta semana, assim como na 1ª semana, foi à realização da 2ª Romaria do Cerrado, onde o símbolo do “Calvário Geraizeiro” foi entregue a uma moradora da comunidade de Pedra Branca/Correntina, que tem como padroeiro São Francisco de Assis, “Santo da Ecologia Integral”.

veredas do vão 1

foto arquivo – cerradania- Veredas do Vão

As Semanas do Cerrado tem como objetivo a realização de visitas para levantamento de realidade; trocas de experiências; reuniões; palestras; celebrações nas comunidades, escolas e igrejas; audiências com órgãos públicos; seminários de formação e encaminhamentos; partilha de saberes e sabores nas comemorações culturais. Tais ações vão a cada ano dando ampla visibilidade aos problemas vividos pelo Cerrado e os seus povos, as Romarias do Cerrado, se somam a estas outras ações e por meio de rádios, faixas, panfletos e o “boca a boca” fazem com que milhares de pessoas se juntem entorno de um único objetivo a “Vida do Cerrado”.

A participação da sociedade civil junto aos organizadores destes eventos mostra o quanto este bioma é fundamental para nossas vidas. As vivências experimentadas, por meio da troca de saberes, trabalho voluntário, acolhimento solidário, integração de organizações e a exaltação a fé e a esperança como elementos fundamentais para a manutenção do “Cerrado em Pé” são elementos marcantes diante uma conjuntura hostil. Mantendo a tradição iniciada em Côcos em 2014, o “Calvário Geraizeiro”, que não é só dor e luto, mas inspiração à criatividade, à resistência, à luta e às ações na defesa do Cerrado fez a sua clausura durante um ano, junto a São Francisco de Assis na Pedra Branca, e agora é a hora de voltar às ruas, para como o “lenho da cruz” nos iluminar na construção de “Outro Mundo Possível”.

Impulsionados pela experiência das Semanas e Romarias do Cerrado realizadas anteriormente, e pela memória dos mártires da região, em especial a de Isaias Cândido de Souza, assassinado em Canápolis no dia 11 de setembro de 1983, que por uma triste coincidência é também o “Dia Nacional do Cerrado”, assim a 3ª Semana e Romaria do Cerrado será realizada em Canápolis-BA, entre os dias 02 a 10 de setembro de 2016. Este município, que já foi sinônimo de fartura com a cana de açúcar, a rapadura, os roçados, as veredas daí o nome Canápolis, por “conta de seus extensos canaviais”, hoje vive momentos de angústia por conta dos impactos socioambientais sobre os (as) Agricultores (as) Familiares, responsáveis pela economia do município. A grilagem, os desmatamentos, a escassez da água hoje assolam este povo sofrido, que com fé e esperança aceitou serem os condutores do “Calvário Geraizeiro”, e assim denunciar os desmandos do Agronegócio e anunciar que há outras formas de conviver com o “Cerrado em Pé” para que não tenhamos que viver “Sem Cerrado, Sem Água, Sem Vida”.

O Cerrado é o bioma mais antigo do Brasil, pois a sua formação iniciou-se há cerca de 65 milhões de anos, sendo que a ocupação humana se dá há cerca de 10 mil anos antes do presente. Sua abrangência é de 192,8 milhões de hectares (22,65 % do território brasileiro), e está presente em 13 estados do Brasil, onde vivem aproximadamente 22 milhões de pessoas. Sua rica biodiversidade, com 14 fitofisionomias (microambientes), nos faz repensar que o correto seria chamar o que é Cerrado, no singular, de Cerrados, no plural. Nestas 14 fitofisionomias, estão 6.000 espécies de árvores, 837 espécies de aves, 195 espécies de mamíferos, 780 espécies de peixe e 113 espécies de anfíbios.

Por sua importância na produção de água, ao contribuir com as principais bacias hidrográficas brasileiras, o Cerrado é hoje conhecido como “Caixa D’água do Brasil” ou “Cumeeira da América do Sul”. Na Bahia, este bioma ocupa 21,4% da área do estado, que representa a área de recarga do Aquífero Urucuia, onde estão localizadas 03 bacias hidrográficas perenes: rio Carinhanha, rio Corrente e rio Grande seus afluentes e subafluentes, que segundo Hidrólogos da Agência Nacional de Águas-ANA, contribui em média com 30 % da vazão média natural em Sobradinho, alcançando valores entre 80 % e 90 % no período de estiagem, entre os meses de agosto e outubro.

Os dados recentes são “alarmantes”, visto o ritmo acelerado com que licenciamentos para desmatamentos e outorgas para a retirada de água estão se dando no Oeste da Bahia. Esta região fora incluída recentemente, em uma nova região geográfica brasileira, criada a partir dos interesses da expansão das fronteiras agrícolas junto aos estados do Maranhão, Tocantins e Piauí, consolidando o projeto denominado de MATOPIBA. Para o povo que vive e depende do Cerrado esta será a “Cartada final”, contra as áreas ainda preservadas, que são produtoras de água e mantenedoras da vida.

Alegres e confiantes, o povo organizado do Oeste da Bahia estará realizando a 3ª Semana e Romaria do Cerrado, com o tema “Cerrado em Pé: Sem Cerrado, Sem Água, Sem Vida”. Contamos com o envolvimentos de todos (as) durante o período de 02 a 09 de setembro de 2016 nas atividades da Semana do Cerrado, e a fim de conduzir pela 3ª vez o “Calvário Geraizeiro” às ruas que se façam presentes em Canápolis-BA no dia 10 de 2016. E que em sinal de esperança e fé possamos juntos dizer: “Eis o lenho da cruz, do qual pendeu a salvação do mundo. Vinde adoremos!”

Organização: Paróquia de Canápolis, STR de Canápolis, Paróquia de Cocos, Paróquia de Correntina, PJMP, Pastorais, EFAPA, ACEFARCA, CPT, Pastoral do Meio Ambiente, MAB, APSFVIVO, AATR-BA, AAVV, STR de Correntina, Coletivo de Fundo e Fechos de Pasto, RODA, Movimento de Mulheres, SINDTEC, STR de Santa Maria da Vitória, STR de Cocos, Irmãs Filhas de Fátima, Guardados de Hermes – Comunidades Rurais de Canápolis, Santana, Serra Dourada, Cocos, Coribe, Jaborandi, Correntina, Santa Maria da Vitória–BA.

Comissão Organizadora da 3ª Semana e Romaria do Cerrado.

 Mais informações: CPT Bahia: (71) 3328-4672 / 3329-5750

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu do Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: