Época dourada de um capim no cerrado

The golden grass is harvested between September 20 and November 20 so it does not go extinct.
The law prohibits the exit of “in natura” material from the region only in pieces already produced by the local community, aiming at the environmental, social and economic sustainability of the place.

O capim dourado só pode ser colhido entre 20 de setembro e 20 de novembro para que não entre em extinção. A colheita é regulamentada por lei que proíbe a saída do material “in natura” da região, somente em peças já produzidas pela comunidade local, visando assim a sustentabilidade ambiental, social e econômica do local.

colheita capim dourado

colheita do capim dourado – foto de Ezequias Araujo SECOM TO

 

A partir do dia 20 de setembro, as comunidades tradicionais da região do Jalapão  estão autorizadas a realizar a coleta do capim dourado, matéria-prima tradicional da região. A data para início da colheita é regulamentada para garantir o manejo sustentável do capim dourado, como forma de preservação e controle de sua retirada, prevenindo a ação de atravessadores e a comercialização ilegal.

capim douradofoto_marcio_vieira-atn_2

Arte do capim dourado foto de Marcio Vieira / ATN

Anualmente, o período é celebrado pela comunidade com a já tradicional Festa da Colheita do Capim Dourado, que este ano chega a sua 7ª edição. O evento, que acontece anualmente, entre os dias 18 e 20 de setembro, é promovido pela Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca, com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), e outros parceiros. Neste período, os visitantes terão a oportunidade de conhecer a cultura, tradições e, em especial, de verificar, in loco, como se dá o processo de produção do artesanato de capim dourado desde o momento de colheita da matéria-prima até a confecção das peças.

Membro da equipe organizadora do evento, Ilana Ribeiro Cardoso apontou que a festa tem grande significado para as comunidades. “Representa o início de uma colheita, época que vai garantir a produção de artesanato ao longo de todo o ano. É um marco que estamos registrando com uma festa. Isso vai divulgar não só o capim dourado, mas o povo do Jalapão, que precisa ser valorizado”, considerou.

De acordo com a secretária do Desenvolvimento Econômico e Turismo,  o incentivo ao evento é parte da política de desenvolvimento da região do Jalapão, uma das prioridades do Governo. “O capim dourado já se tornou a base de sustento dessa comunidade e o Estado tem o dever de apoiar e fazer com que tenham, a cada dia, mais oportunidade de levar seus produtos a outros mercados. Paralelo à questão econômica, temos que lembrar que este evento fortalece a identidade cultural de um povo, tornando-se um momento de difusão da história e cultura do Povoado Mumbuca; assim como, integra as demais comunidades remanescentes de quilombos estabelecidas na região”, pontuou.

 

Atividades

Ao longo dos três dias, atividades como rodas de conversa, apresentações musicais, cantigas de roda, entre outras, vão movimentar o Povoado Mumbuca, localizado no município de Mateiros. Uma das principais atividades programadas para quem participa do evento é o roteiro de base comunitária – com visita à vereda para demonstração da colheita do capim dourado, com condutor de turismo local, café com prosa com as famílias tradicionais quilombolas e oficina demonstrativa de artesanato em capim dourado.

Tradição

Como os demais municípios que integram a região do Jalapão, Mateiros tem na agricultura de subsistência sua principal atividade econômica. A utilização do capim nativo de hastes douradas (nome científico: Syngonanthus nitens), predominante nos campos e veredas ao redor do povoado Mumbuca, onde estão localizadas comunidades quilombolas, teria se dado há cerca de oito décadas, em decorrência da necessidade de utensílios domésticos, com uso da técnica de trançagem, assimilada dos índios da etnia Xerente.

A partir da década de 1990, por iniciativa de lideranças comunitárias como Dona Guilhermina Ribeiro da Silva (Dona Miúda), Inocência Nepomuceno e Silvéria Gonçalves (Dona Severa), surgiram as primeiras peças destinadas à comercialização. Com incentivo do Governo do Estado e outras instituições, pessoas das comunidades foram inseridas em programas de treinamento e capacitação, que deram uma nova identidade à produção e a vasta divulgação levou os produtos a atravessar as fronteiras do Tocantins, alcançando o mercado internacional e vitrines de grandes lojas de artigos de luxo.

Preservação

Para garantir a preservação da matéria-prima, são estabelecidos critérios de coleta. Além da data para início, o capim só pode ser colhido por artesãos credenciados em associações comunitárias e extrativistas. “A comunidade percebeu que se não cuidar, vai acabar. Então, temos uma preocupação muito grande com a questão da preservação”, finalizou Ilana Cardoso.

Texto: Maria José Batista e Patrícia Saturno / Governo do Tocantins

 

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu do Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: