Memorial do cerrado um local a ser visitado em Goiânia

Cerrado Memorial is the living memory of our past, our civilization.      The visit starts at the Museum of Natural History, with a lecture about the fauna and flora of the cerrado biome, about our soil and its minerals and about civilizations and traditional populations.

Magníficamente instalado em uma enorme área arborizada, com um lindo lago, o Memorial do Cerrado é a memória viva de nosso passado, de nossa civilização. A visita tem início no Museu de História Natural, onde encontramos uma verdadeira aula sobre nossa fauna e flora, sobre nosso solo e seus minerais e sobre as civilizações que já habitaram nesta região, o acervo é riquíssimo e inclúi, até, fósseis, animais empalhados e uma floresta petrificada.

museu do cerrado cidade

Representação cidade no museu do cerrado

Passeio cultural em Goiânia: o Memorial do Cerrado. Eleito como o local mais bonito da cidade, é um complexo científico que funciona no Campus II da PUC Goiás e representa as diversas formas de ocupação do bioma e os modelos de relacionamento com a natureza e a sociedade. Lá eles retratam desde a origem do planeta Terra à chegada dos portugueses ao Brasil, além de dar um alerta sobre a preservação do Cerrado brasileiro, bioma de suma importância nas questões ecológica de nosso país.

No Memorial do Cerrado, você encontra diversas atrações culturais dentro de um ambiente natural e agradável que lembra o interior. Você pode voltar no tempo em uma cidade cenográfica com arquitetura colonial. Quem quiser, pode tomar um cafezinho e experimentar a rapadura caseira feita na hora na fazendinha. E em toda parte você vai se deparar com interações de personagens de época e folclóricos, encenados por grupo de teatro.

Instalado em uma enorme área arborizada e com um lindo lago, o Memorial do Cerrado é ideal pra quem quer ter uma ideia de como eram as cidades históricas goianas do século XVII e XVIII. A visita tem início no Museu de História Natural, onde você encontra uma verdadeira aula da nossa flora e fauna, sobre o solo e seus minerais e sobre as civilizações que já habitaram nossa região. O acervo é riquíssimo e inclui fósseis com datação de até 600 milhões de anos, animais empalhados e uma floresta petrificada. O espaço de exposições do Museu tem painéis e cenários que narram a história evolutiva da Terra e do cerrado.

Ao sair do Museu, o visitante se depara com a Vila Cenográfica de Santa Luzia. É uma pequena vila onde estão representadas as principais atividades de uma cidade do interior na época do ciclo de ouro. Ao lado da Vila encontra-se uma fazenda, onde estão objetos que representam as atividades rurais de antigamente, como carros de bois, moenda de cana de açúcar e monjolos. E é interessante perceber como a casa foi perfeitamente reconstituída, com móveis e decoração da época, com tudo muito limpinho e bem conservado. Andar por aqui te permite ser inserido na história colonial e reviver aqueles tempos, por meio do contato com a serraria, a venda, oficinas e até mesmo um bordel!

A partir da fazenda, o visitante passará por uma trilha que chegará ao Quilombo, onde foi reconstruído o local de resistência ocupado e organizado pelos africanos e descendentes que fugiam do trabalho escravo. É uma réplica fidedigna dos modelos de quilombos existentes no Brasil, inclusive com móveis como os que eram feitos pelos antigos escravos.

museu do cerrado quilombo

Representação moradia quilombola – Museu do Cerrado

Ainda seguindo a trilha, o visitante chega até a Aldeia Timbira, réplica em tamanho original de uma aldeia indígena da Tribo, com formato circular, na qual cada casa tem um caminho que dá acesso ao pátio – o centro de atividades da tribo.

Sobre as trilhas que dão acesso ao Quilombo e à Aldeia, foram abertas no interior da reserva intacta de floresta tropical e cerrado que existe na Estação Ciência São José. Em uma área de 2km de extensão, incentivam o contato com a natureza e o desenvolvimento do espírito esportivo e de aventura.

Por ser de cunho cultural e educativo, o Memorial do Cerrado recebe, diariamente, grupos de estudos e pesquisa. Para isso, conta com o Espaço de Educação Ambiental Dalila Coelho Barbosa, um auditório ao ar livre com 150 lugares, destinado à oficinas educativas, piqueniques e recreação.

E por fazer parte de um projeto universitário tem como objetivo fomentar o conhecimento sobre história, natureza e cultura de cerrado goiano, funciona de terça a sábadodas 9h às 17h visitas agendadas.

 

 

 

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Latest

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu do Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: