Extremo sul do cerrado brasileiro

In the state of Paraná, the land of pines, crooked and barren trees, undergrowth, curious fruits. A piece of cerrado in the south of Brazil in Paraná state. Actually, a little bit. The cerrado of Paraná fits in a soccer field in the muinicipio of Campo Mourão. Another area is the Cerrado State Park in the municipality of Jaguariaíva with 1830.4 hectares, including lands of the municipality of Sengés.

Paraná preserva cerrado do tamanho de um campo de futebol e a área guarda plantas medicinais, frutas e espécies ameaçadas de extinção.

cerrado em campo do mourão

Trabalho de pesquisa em Campo Mourão -Pr

No estado do Paraná, a terra dos pinheiros, árvores tortas e cascudas, vegetação rasteira, frutas curiosas. Um pedaço de cerrado no Sul do Brasil em solo paranaense. Na verdade, um pedacinho. O cerrado do Paraná cabe em um campo de futebol. É um quarteirão de mata retorcida perto do centro de Campo Mourão. A cidade, de 85 mil habitantes, no noroeste do estado, nasceu e cresceu sobre o cerrado que um dia dominou a região e boa parte do país.

 

“O cerrado que existiu no Brasil no passado era muito vasto. Á medida que o clima foi mudando para mais úmido, as florestas foram avançando. A vegetação de cerrado ficou restrita a manchas em pontos onde o solo lhe dava condição de manutenção”, conta o doutor em ciências ambientais Mauro Parolin.
No espaço todo cercado, uma amostra da paisagem que não existe mais. A estação é um museu vivo do cerrado paranaense. Por enquanto, sem visitação. Só pesquisadores podem entrar para estudar a mata. Um acervo pequeno, mas valioso.
Em apenas uma quarteirão, quanta diversidade! Pesquisadores já identificaram 240 espécies de plantas. Algumas delas são bem raras, como um tipo de capim que, no Paraná, só existe na estação.
“Em Campo Mourão, uma gramínea do cerrado só conseguiu ficar preservada dentro da estação. Nas áreas de entorno, o avanço da cidade fez com que ela desaparecesse”, explica o professor Mauro Parolin.
Na mata ilhada pelo progresso também foram encontradas plantas usadas em remédios caseiros. Caso da copaíba e do barbatimão, que produz um poderoso cicatrizante. Os efeitos foram testados por pesquisadores da estação ecológica. Em parceria com laboratórios privados, eles fabricam tinturas e pomadas com a casca da planta.

“Geralmente, tratamos feridas que necessitam de cicatrização. Para o lado interno, ele é muito bom para afecções de garganta, gengivite, úlcera e gastrite”, revela o responsável pela estação ecológica, Luiz Cezar Alves.
O barbatimão é uma das espécies coletadas e catalogadas no herbário da Universidade Tecnológica Federal de Campo Mourão (UTFPR). O acervo tem mais de duas dezenas de espécies do cerrado. Plantas que não foram mais observadas fora do local, como a palmeira-anã e o algodão-do-campo.
O esforço para preservação também conta com incentivo oficial. Em Campo Mourão, moradores que mantêm espécies de cerrado no quintal e que se cadastraram na prefeitura até 2003 têm direito a desconto no IPTU.
Para cada árvore de pé, 5% menos de imposto. Mas só valem espécies tombadas, como angico, pequi e barbatimão. O desconto máximo é de 30% no valor do tributo. Com quatro angicos no quintal, o montador industrial José Carlos Oliveira está economizando cerca de R$ 50 no IPTU. Mas esse nem é o maior benefício da preservação. “Não precisamos de passarinhos na gaiola para ouvir o canto deles. É só preservar a árvore que vamos ter passarinhos sempre por perto”, diz.
Nos quintais, trilhas e laboratórios, a luta por um fragmento de cerrado, vestígios de um tesouro que pode desaparecer antes mesmo de ser conhecido por inteiro.
“Cerca de 85% das espécies do cerrado são de uso medicinal. A preservação é necessária para que a pesquisa seja utilizada em prol da sociedade”, observa o geógrafo Renato Lada Guerreiro.
“A preservação vale a pena. Quando você vê uma árvore do cerrado de dois palmos frutificando, vale a pena. Quando você altera a camada superficial e tomba a terra, é um caminho sem volta, os espécimes vão ser preservados em vaso”, ressalta o professor Mauro Parolin.

Outro espaço é o Parque Estadual do Cerrado foi criado pelo Governo do Estado através do Decreto 1232, de 27 de março de 1992 com área de 420,4 hectares. Em 2007, pelo decreto 1527 de 02 de outubro, o parque foi ampliado, culminando com 1.830,4 hectares, abrangendo inclusive terras do município de Sengés.

O objetivo desta Unidade de Conservação Estadual é de preservar a flora e fauna típicas deste cerrado que é um dos últimos remanescentes dessa vegetação no sul do país. O Parque apresenta características naturais de relevante valor ecológico e paisagístico além de exercer a função de preservação e conservação dos ecossistemas, garantindo a perpetuação das espécies, o desenvolvimento de pesquisas científicas, educação ambiental e turismo nestas áreas naturais.

O parque representa o marco meridional do Cerrado do sul do Brasil, e abriga inúmeras variedades da flora e fauna brasileira. É habitat natural de inúmeras espécies como: lobo-guará, veado, gralha do cerrado, gavião de casaca e coruja branca. Aparentemente é um cenário árido, de árvores retorcidas e sem vida, mas durante uma visita ao Parque se descobre um local de rara beleza, de flores exuberantes e de grande riqueza biológica, fatores de garantem serem o cerrado, a savana de maior diversidade do mundo.                  O Canyon do Rio Jaguariaíva está inserido na área do Parque, sendo mais um importante atrativo para o turista que aprecia cenários naturais como este, de rara beleza.Localização: Bairro Pesqueiro – acesso pela PR 092.Distância a partir do centro da cidade: 12 km. Visitação: Agendadas com o IAP: (41) 3213-3819 / (41) 3213-3462.

 

Anúncios

About cerradania

Operário das letras, Comunicador e Idealizador da Cerradania, Palestrante,Professor. Letterman, Communicator and Idealizer of Cerradania, Speakers,Teacher.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

Citizenship actions in the Cerrado biome

Rede MAIS Vida no Cerrado

O berço das águas corre perigo

biomas do cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

WWF - Conservation news & stories

Citizenship actions in the Cerrado biome

ISPN

Citizenship actions in the Cerrado biome

Cerratinga

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Citizenship actions in the Cerrado biome

Museu Virtual de Ciência e Tecnologia - Cerrado

Citizenship actions in the Cerrado biome

Day by Day the Farm Girl Way...

Simple life on a little piece of land.

Cerradania

Citizenship actions in the Cerrado biome

Maravilhas do Cerrado

"O uso da fotografia e cultura digital para fomento da educação ambiental"

Jim Caffrey Images Photo Blog

photography from the ground up

%d blogueiros gostam disto: